Xi Jinping, o ditador de ursinho-poohlândia que obteve o titulo de Doutor Honoris Causa no séc. XXI

Conheçam agora mais uma hipocrisia da esquerda-caviar bananiense: eleger um ditador para receber menção honrosa. Menção que, geralmente, nunca é para uma pessoa efetivamente boa para a humanidade sem que precise ser demagogicamente conivente com a desonestidade que é parasitagem estatal.

Em 10 de outubro de 2019 foi concedida uma certa honraria de segmentos socialistas bananienses para o comunista Xi Jinping.

Somente pela leitura do título já se vê clara a inversão de valores. Uma cortina de fumaça espessa com o teor escabroso de canalhice. Esse é o perigo de acreditar nas palavras de docentes da Universidade Federal lá da terra onde governa o auschvitzel, mais conhecida por estatistas como Rio de Janeiro.

Em se tratando da tal “honraria”, já era de se esperar uma presepada sob o crivo desonesto de parasita público que relativiza o que representa de fato o ursinho-pooh, cujo partido comunista ainda não havia trabalhado para ocultar as informações sobre os primeiros contágios do vírus chinês que viriam à tona em janeiro, 3 meses após à premiação.

Ursinho-pooh é conhecido como O Rei do Gado chinês para os socialistas que, às escondidas, adoram ditadores. É o que diz querer estabelecer aquele ideal, sim, aquele mesmo, todos igualmente pobres, na miséria, sob a dependência do mafioso estatal, pelo partidão.

A incumbência dos socialistas bananienses em questão era de ter premiado seus respectivos donos com o título de Doutor Honoris Causa, prêmio que usa uma expressão em latim como um título significa literalmente “por causa da honra”. É não-comercial, concedido por universidades a pessoas eminentes, que não necessariamente sejam portadoras de uma graduação acadêmica, mas que se destacaram em determinada área.

Em uma tradução mais honesta e realista, o título é dado a políticos e a grandes empresários socialistas que são amigos de políticos. É entregue por “socialistas de carteirinha”, unicamente para ganhar notoriedade momentânea no curral estatal.

“Líder aberto ao diálogo, com destaque mundial à sua visão mais democrática em relação à China”, disse um dos carrapatos do estado querendo endossar uma coisa que não existe – ditador democrático. A visão dele sobre a democracia deve ser que é uma forma mais aceita de controle pelos súditos. O título considera a “causa de honra”. A honra de ursinho-pooh é ferrenha, partilhada com partido comunista chinês, ideário de dominação e controle, do jeito (que ele acha) que o gado gosta. Realmente! A honra e a glória do partidão vem tendo êxito, que tem um rebanho inteira para carregar a coroa.

Por conta do escancaramento vergonhoso da negligência voluntária de Xi JinPing (e seus confrades mafiosos comunistas de pior espécie) em relação início do surto do vírus chinês, os comunas-nutella da federal fluminense, cogitam anular o título dado ao mafioso-chefe porque isso, a despeito da atitude do PCC, não seria bem visto. Contudo, certamente, vão aguardar um novo momento em que algum de seus atos de ditador seja mais fácil de ser relativizado pelos docentes lambedores de botas.

“Essa proposta foi feita pela Congregação da Escola de Química e pelo Conselho Deliberativo da Coppe (unidade do centro de pesquisa da UFRJ que coordena cursos de pós-graduação em engenharia)”, informou o jornal local.

Um professor que não quis se identificar, por medo de retaliação da reitoria, afirmou que os documentos foram aprovados de maneira rápida, silenciosa, com a intenção de convidar o Xi Jinping para estar na UFRJ em novembro de 2019 – o que não se concretizou. E era algo óbvio. O maquinário que lidera a ditadura chinesa não quer saber de honraria alguma. Se alguém quiser lamber o saco de ditador xing ling, que seja uma língua grande e vermelha como a OMS (Organização Mono-Socialista) que prioriza um, que for representante de máfia estatal.

Houve também relato de um outro docente que disse que a universidade cassou um título concedido ao Emílio Garrastazu Médici, ex-mafioso-chefe de banânia durante a ditadura militar.

“Não há coerência democrática em querer conceder agora um mesmo título a outro ditador, trocando um ditador de direita por outro de esquerda.”. Ele também não se identificou por medo de represálias da turma do “ódio do bem” – porque vocês sabem – só essa turma pode ser “taxista” porque é pelo bem de todos. …mesmo que digam rejeitar o “taxismo”.

E o tal professor de química da UFRJ, que ainda queria a honraria ao ursinho pooh, alegava que que o ditador chinês é mais democrático. Ele obteve apoio do Coppe, que defendeu o título justificando o modo como Xi Jinping atua pela “conservação ambiental e desenvolvimento sustentável”. Isso mesmo, você não ouviu errado. A China é um dos lugares mais poluentes do planeta e a desculpa para lamber as botas de um ditador foram: “conservador ambiental e democrático com a china”. Será que os seus fantoches manipulados concordam?

FONTE: ANCAP.SU (VISÃO LIBERTARIA)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: